A polêmica da amamentação

Amamentação pra mim sempre foi algo que parecia normal, e que seria natural quando o Fernando nascesse. E graças a Deus foi. Ele demorava um pouco para pegar o bico do seio, mas quando pegava, mamava direitinho. Também não tive os mamilos rachados, nem febres, nem nada dessas dificuldades que são tão comuns a tantas mães.

Nunca me senti constrangida em ver alguém amamentar, mas confesso que antes dele nascer pensava que ficaria com vergonha de amamentar com outras pessoas em volta, a final, nunca havia me exposto dessa maneira. Mas é algo tão louco como a chave da nossa cabeça muda quando nossos bebês nascem, vai da fase “mulher” para “mãe” em um clique, já no início do parto.

Seu corpo não é mais só seu(já não era 9 meses atrás, mas você ainda tinha livre arbítrio),  agora ele é a proteção e a fonte de alimento daquele ser frágil que foi colocado em seus braços. Nos primeiros dias (ou meses) não importa se você está linda, ou feia, escabelada, com as unhas por fazer, você não vai mais ao banheiro a hora que precisa, e sim a hora que pode, você não dorme quando sente sono, dorme quando ele dorme, você vive por outro, não existe mais a mulher, existe a mãe (depois a mãe da espaço para ser mulher também, calma).

Então, por tudo isso, não existe mais seio, existe alimento, existe a prioridade que é alimentar o seu bebê, não importa, a hora, o lugar ou a razão, na sua cabeça foi desconectado o sentido anterior de seios fartos e lindos à qualquer conotação sexual.

Mas e todas as outras pessoas que estão em volta? O que pensam de amamentar?

amamentar-em-publico

Campanha Mexicana “When Nurture Calls” sobre mães amamentarem “escondidas” em banheiros públicos.

Muitos se constrangem, ou condenam, julgam. Mas por que? Pra que? É um ato natural de carinho e amor, como tantos outros demonstrados em público, como beijos e abraços, carinhos.

Tem algumas coisas que me fazem refletir sobre quão sem sentido é este constrangimento, pensem comigo:

  • Somos o país do carnaval e do fio dental, e na maioria dos Estados tropicais do país os corpos estão sempre bem expostos, incluindo as mamas em biquínis minúsculos (são os mamilos os grandes vilões?) ;
  • Top less na Europa é cool para muitos;
  • Desde o século IV A.C são esculpidas formas humanas totalmente nuas e achamos lindo!
  • Muitos bebês mamam exclusivamente no peito em livre demanda, e assim como todos, tem direito de comer a qualquer hora em qualquer lugar;

Enfim, hoje as mulheres estão realizando movimentos para que a sociedade reflita sobre o assunto.

Não sou ativista, e também não consegui amamentar por muito tempo o Fernando em qualquer lugar, porque ele não parava de olhar em volta e esquecia de mamar, mas já fiz minha reflexão e definitivamente acredito na amamentaçãonaturalidade deste ato de amor.

Que as chaves das cabeças mudem de fase, “menos crítica” pra  “mais amor”, por favor!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s