Quando os planos mudam

Sempre fui muito de fazer planos, de sonhar acordada com as mil possibilidades de coisas que poderia fazer na vida, onde poderia estudar, onde trabalharia, se me casaria, quantos filhos teria. Uma ansiedade doida de mulher, misturada com o constante desejo de escalada de uma capricorniana nata.

Os planos de curto e médio prazo sempre estavam estabelecidos na cabeça, os de longo prazo sempre deixei a cargo do destino, primeiro por não me considerar tão controladora, e segundo, se eu estava plantando, iria colher.

Em resumo, tive empregos muito bacanas já no início da carreira profissional, fiz viagens inesquecíveis, me casei cedo, esperei nos sentirmos prontos (difícil acreditar que nisso não fui ansiosa), e encomendamos um bebê.

A cegonha nos deu uma enrolada, e demorou mais de um ano pra dar o aviso de entrega. Confesso que esse um ano de espera me deu uma ansiedade louca, e como dizem que o psicológico afeta, deve ter sido esse um dos motivos.

DSC_0706

Foto: Elisa Paula

Então chegou o Fernando, lindo, forte e saudável, mas um agito só nas madrugadas, e eu sofri com isso, sofri com a falta de horas de sono, com a exaustão física e psicológica.

Segundo filho? Claro que teria, mas um dia, um dia muuuuito distante, eu teria que dormir um ano inteiro para pensar nisso. Engraçado que assim que nasce o primeiro, já fica a torcida para o segundo. Que pressa que tem esse povo!

Decidi que ficaria com o Fernando em casa até perto de um ano, mas como ele sempre foi um bebê muito cheio de energia, com 10 meses decidi que já era hora para ele ir para escolinha e eu voltar ao mercado de trabalho.

Não foi bem assim para voltar a trabalhar, então retomei meu trabalho homeoffice como agente de viagens, iniciei o blog, comecei a estudar para concursos e tinha uma proposta de emprego para o segundo semestre. Mil e uma atividades para me sentir produtiva profissionalmente e trazer dindin pra casa.

E…BOOOMMM, um teste positivo de gravidez caiu como uma bomba. E tudo que eu havia planejado? E o Fernando que só tem 1 ano? E voltar a trabalhar? E ser independente financeiramente denovo? E dois bebês ao mesmo tempo?e? e? e?

DSC_1450copi

Foto: Fernanda Motta

Demorei mais ou menos uma semana para assimilar o que estava acontecendo. Difícil refazer os planos quando algo tão grandioso e definitivo surge na sua vida. Respirei fundo, e ansiedade foi passando, tudo que estava tão enrolado foi se desenrolando, o maridão também deu muito apoio, estavamos nessa juntos, teriamos 2 bebês lindos, 2 irmãos próximos, a família estaria completa. Tudo teria seu tempo, e eu teria meu tempo de me dedicar aos meu filhos.

Parei de me preocupar com dinheiro e com as questões práticas de ter dois bebês pequenos em casa e me permiti ficar extremamente feliz com a chegada de mais uma vida.
Todo resto é um detalhe, quando o mais importante a gente já tem: AMOR!

Beijos com carinho,

Ale

 

Anúncios

3 comentários sobre “Quando os planos mudam

  1. Um bebê é sempre uma benção e quando Deus nos incumbe de cuidar de de um ser tão maravilhoso é porque sabe que somos capazes e com certeza não deixará faltar nada. Vc é uma mãezinha maravilhosa e vai tirar de letra tudo isto. Viva um dia de cada vez e não sofra com o amanhã pois ele só a Deus pertence. Te amo!! Bjss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s