Como fazer seu filho ter auto-confiança

Ser pai e mãe é muito mais complexo do que trocar fraldas, dormir pouco a noite, matricular numa boa escola, e certificar-se de que não falte nada. Isso é fichinha!!!

Punk começa a ficar quando paramos pra pensar no impacto que temos na formação da personalidade e auto-estima dos nossos pequenos.

Uma pesquisa realizada pela Temple University, Estados Unidos, constatou que até o modo como elogiamos tem um grande efeito no desenvolvimento dos nossos filhos. Se trata da forma em como os incentivamos para encararem os desafios da vida.

Confira a reportagem da Science Daily na íntegra:

Desenvolvimento da criança: O tipo certo de elogio incentiva atitudes positivas em relação ao esforço

As crianças que ouvem elogios dirigidos aos seus esforços, como “você trabalhou duro” são mais propensos a preferirem um desafio ao invés de tarefas fáceis e acreditam que a inteligência e personalidade podem melhorar com o esforço, ao contrário dos jovens que simplesmente ouvem elogios dirigidos a eles pessoalmente, tais como “você é uma boa menina”, a nova pesquisa da Universidade de Chicago revela.

“O tipo de elogio focado em esforço é chamado de ‘elogio de processo’ e envia a mensagem de que os esforços e as ações são as fontes de sucesso, levando as crianças acreditarem que podem melhorar seu desempenho através do trabalho duro”, disse Elizabeth Gunderson, professora assistente de psicologia da Universidade Temple, e principal autora do estudo realizado, enquanto era estudante de graduação na Universidade de Chicago.

Outra forma de elogio chamado de “elogio pessoal” é focado nas características da criança. Os pais que usam um elogio pessoal, poderiam dizer “você é um bom menino”, por exemplo.

Fonte: Pinterest

Fonte: Pinterest

Os resultados, publicados no jornal “Elogios dos pais para crianças de 1 a 3 anos, Prevê crianças motivadas 5 anos mais tarde,” são os primeiros a mostrarem o impacto do elogio dos pais em um ambiente natural. O estudo foi publicado on-line na revista Child Development e foi conduzido por pesquisadores de Stanford, bem como da Universidade de Chicago.

Estudos de laboratório, descobriram que os resultados do elogio de processo resultam em maior persistência e melhor desempenho em tarefas desafiadoras, enquanto elogio pessoal, que envia a mensagem de que a capacidade de uma criança é imutável, resulta em diminuição da persistência e desempenho.

No novo estudo, os pesquisadores descobriram que a porcentagem dos pais que usaram o elogio de processo quando seus filhos tinham entre um e três anos de idade, tinham crianças confortáveis com desafios, com estratégias para superar o fracasso, e pensaram que a inteligência e personalidade seriam maleáveis cinco anos mais tarde.

 

 

Para o estudo, a equipe filmou 53 crianças e seus pais durante as interações diárias em casa. Cada família foi filmada três vezes, quando as crianças tinha um, dois e três anos de idade. A partir das fitas de vídeo, os estudiosos identificaram casos em que os pais haviam elogiado seus filhos e classificaram seus elogios como elogio de processo, elogio pessoal, ou outro elogio.

Elogio de processo enfatizava o esforço de uma criança, estratégias ou ações (tais como, “você está tentando o seu melhor”, “bom trabalho “). Elogio pessoal como um elogio a uma qualidade positiva fixa, (“você é uma garota esperta”, “você é bom nisso”). Outro elogio incluídos foram (“você conseguiu”, “ótimo”).

Eles então encontraram as crianças cinco anos mais tarde, quando elas tinham 7 e 8 anos de idade, e avaliaram se elas preferiam desafios ao invés de tarefas fáceis, se foram capazes de gerar estratégias para superar contratempos, e se acreditavam que a inteligência e personalidade são traços que podem ser desenvolvidos (em oposição aos que são imutáveis).

Quando os pais utilizaram uma porcentagem maior de elogio de processo, suas crianças relataram abordagens mais positivas para os desafios e acreditavam que poderiam melhorar seus resultados com esforço. No entanto, os outros dois tipos de elogios (elogio pessoal e outros),a quantidade total de elogios não estava relacionada com as respostas das crianças.

Além disso, os pais dos meninos usaram uma maior percentagem de elogio de processo do que os pais das meninas. Mais tarde, os meninos eram mais propensos a ter atitudes positivas sobre desafios acadêmicos do que meninas e acreditavam que a inteligência poderia ser melhorada “, disse a co-autora Susan Levine, para Stella M. Rowley, Professora de Psicologia da U.Chicago.

“Nossos resultados demonstram que o elogio de  processo –  elogio que enfatiza esforço, ações e estratégias das crianças – prevê atitudes das crianças para com os desafios e as suas crenças sobre a maleabilidade de resultados cinco anos mais tarde”, disse Gunderson. “Estes resultados sugerem que a melhoria da qualidade de elogio dos pais já na primeira infância, pode ajudar as crianças a desenvolverem a crença de que o seu sucesso futuro está em suas próprias mãos.”

Além de Gunderson e Levine, outros autores eram Susan Goldin-Meadow, Professor Beardsley Ruml em Psicologia pela U.Chicago; Carol S. Dweck, Professora Lewis & Virginia Eaton de Psicologia na Universidade de Stanford; e estudantes de pós-graduação em psicologia de Stanford Sarah Gripshover e Carissa Romero.

A pesquisa foi apoiada pelo Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano e pelo Centro Nacional de Pesquisa Educação.

Tradução: Alessandra Rauter

Fonte: Science Daily

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s