Atenção, mas sem pânico – Bolsa Rota

Oi Gurias,

Agora teremos convidadas profissionais para enriquecer nosso Porto. São as gurias do Parto do Bem, um projeto que promove curso para gestantes. A primeira a escrever é a querida Nanucha, gravidíssima, que é Enfermeira e está trabalhando e se especializando em Enfermagem Obstétrica.

Como vocês sabem, eu tive bolsa rota (depoimento aqui), e minha primeira pergunta para a Nanucha foi sobre o que é realmente a bolsa rota, e se temos que nos assustar, ou porque o bebê está prestes a nascer, ou partir para uma cesaera as pressas.

Confere o texto aqui:

Uma dúvida que muitas gestantes têm, principalmente as de primeira viagem, é saber identificar o que é bolsa rota. Para entendermos o significado desse evento, primeiro precisamos entender o que é bolsa rota. O bebê, dentro do útero materno, fica envolto por uma membrana preenchida por água conhecida como bolsa das águas. Essa bolsa tem função protetora e é importante para manter as condições ideais para o desenvolvimento e crescimento fetal.

DSC_1459 copyPor diversos motivos, essa bolsa pode sofrer alguma fragilidade, que pode causar sua fissura ou até mesmo ruptura. O mais comum é ela espontaneamente se romper quando a mulher entra em trabalho de parto ou até mesmo próximo ou durante o período expulsivo do parto, sinalizando que o bebê está pronto e já pode nascer. Porém, em outras situações, ela pode se romper sou sofrer fissuras antes da hora, ocasionando o que chamamos de rotura precoce das membranas (rupreme). Diversas situações podem predispor a esta situação, as principais delas são gemelaridade e infecções maternas, como a corioamnionite, que é a infecção das membranas que formam a bolsa das águas, que pode também ter diversas causas, principalmente infecções de trato urinário e vaginoses, que têm tratamento e podem ser identificadas precocemente quando a gestante faz um pré-natal regular.

Quando ocorre uma fissura apenas, ela pode se localizar em uma parte mais baixa ou mais alta da bolsa das águas, ela ocasiona a perda constante de líquido ou apenas pequenas perdas quando a mulher faz algum esforço. O líquido pode ser confundido com urina, principalmente se for durante o terceiro trimestre, uma vez que o útero grande pressiona a bexiga e pode haver escapes de urina. Mas há uma forma de identificar se é líquido amniótico ou urina pelo cheiro, o líquido amniótico possui cheiro de água sanitária. A melhor forma de identificar se há perda ou não de líquido é por meio do exame ginecológico, que é realizado pelo obstetra ou enfermeiro obstetra. Nestas situações, o obstetra avalia o problema e define uma conduta, sendo que um dos pontos importantes para definição do prognóstico é se a quantidade de líquido amniótico está adequada para o desenvolvimento do feto, o que pode ser diagnosticado por meio de ecografia. Então, dependendo da idade gestacional, se orienta repouso absoluto, internação hospitalar para monitorização, tratamento de infecções ou até mesmo a interrupção da gestação. Por isso qualquer perda de líquido deve ser sempre investigada por profissional competente.

Já a rotura da bolsa, esta é mais fácil de identificar. Na maioria dos casos ela ocorre durante o trabalho de parto, perto do período expulsivo, porém ela pode ocorrer um pouco antes da gestante entrar em trabalho de parto. Você vai perceber, é inconfundível! É um “ploc”, como se uma bexiga estourasse, seguido de um líquido quente escorrendo pelas pernas, molhando tudo pelo caminho. Esse é um sinal que o bebê este pronto para chegar ao mundo! Um dos aspectos que a mulher deve estar atenta é o aspecto dessa água, como sua cor e cheiro. O aspecto normal é a água ser transparente, esbranquiçada ou amarela clara com cheiro de água sanitária. Se ela for verde, marrom ou vermelha, ou com cheiro ruim, você deve imediatamente procurar um serviço de urgência obstétrica para avaliação, pode ser indicativo de sofrimento fetal ou descolamento de placenta.

Nem sempre as contrações estão presentes quando a bolsa das águas se rompe, por isso, a mulher deve estar atenta aos demais sinais de trabalho de parto: 3 contrações a cada 10 minutos e perda do tampão mucoso do colo do útero (muco gelatinoso branco ou róseo). Se a sua bolsa romper e ainda não houver contrações, é possível aguardar até 48h para iniciar o trabalho de parto até o nascimento, é um período seguro para a mãe e para o bebê, sendo que ela pode ser monitorada por obstetra ou enfermeiro obstetra (gestação de rico habitual). Após esse período, se não houver início do trabalho de parto, o obstetra pode indicar indução do trabalho de parto na ausência de sofrimento fetal. A cesariana só é indicação se houver sofrimento fetal ou algum risco para a mãe. Lembrando que, mesmo um parto induzido, é muito melhor, mais seguro e vantajoso para a dupla mãe-bebê!

Boa semana a todas!

Enfª Nanucha Teixeira da Silva – COREN RS 208237

Pós-graduanda em Enfermagem Obstétrica

Consultora Parto do Bem

Anúncios

8 comentários sobre “Atenção, mas sem pânico – Bolsa Rota

  1. Estou com 21 semanas de gestação. Com 20 semanas foi diagnosticado. Bolsa rota. Fiquei enternada por 7 dias para avaliar. Se eu estaria. Com infeções. Mas graças. ADeus nao tenho nenhuma infeção. Os medicos optaram por romper a gravidez. Mas nao aceitei estpu em casa e cadq semana vou fazer a ultrassom. Dopler para ver a quantidade de liquido amniotico. Gpstaria de saber o que pode ser ma8s prejudicial para mim e meu. Bebe. Ass Laudiceia marques. cuiaba. Mt

    Curtir

    • Oi Laudicéia, falei com a Nanucha, que escreveu este artigo, a resposta dela foi a seguinte: “Agora ela deve tá com 21-22 semanas. Isso? Interromper seria um aborto. Seguir em frente monitorando com eco e o mais indicado parece, pro jeito não bolsa rota, mas uma fissura q causa perda de líquido. Teria q ver o laudo ora dizer certo
      Se for isso, repouso, paciência e fé
      Pois é delicado sabe
      Monitorar cada sinal de infecção e bem estar fetal”

      Espero de coração que esteja tudo bem com vocês 🙂

      Curtir

    • Parabens por sua atitude. Não sou enf. Obstetra mas sei que existem meios para se manter a gestaçao mesmo com bolsa rota. Nesta idade gestacional 21 semanas nao se deve interromper a gestaçao pois o bebê não teria chances de vida fora do útero

      Curtir

  2. Pingback: Mitos e verdades sobre a gravidez | Piccolo Universe

  3. Bom dia
    Já tive bolsa rota por duas vezes, meus bebes nasceram de 30 e 31 semanas, um deles veio a óbito por insuficiência respiratória, mas a outra nasceu bem,ficou cerca de 40 dias internada e hj esta com 5 anos.
    Agora estou com 24 semanas de gestação, receosa de que o quadro se repita. O meu pré natal dizem que nao ha nada que possa fazer para evitar que a bolsa rompa. Os exames estão normais, mas das outras duas vezes foi do mesmo jeito.
    Hj a cada semana que completo me alegro em saber que as chances do meu bebe sobreviver aumenta caso a bolsa rompa prematuramente
    #tenso

    Curtir

  4. Ola estou de 28 semanas e tive bolsa rota na minha gestação anterior , minha filha nasceu de 35 semanas , parto normal , Gostaria de saber se corro risco desta gravidez também ocorrer bolsa rota ?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s