Como ensinar seus filhos sobre dinheiro

Em tempos de crise parece que dinheiro vira “aquele que não deve ser nomeado”, em muitas casas. Mas dá para aprender como lidar com ele em cada realidade.

Desde muito pequeninha meu pai nos ensinou a guardar moedas, e depois adolescente passou a me dar uma mesada para que eu gerisse minhas contas com material escolar e lazer, além de me incentivar em qualquer forma de ganhar meu dinheirinho (fazia pulseiras de miçangas e crepes na praia para vender, e fiz bicos na empresa do pai). Isso foi ótimo para me incentivar a querer ter meu próprio dinheiro e ser independente financeiramente, porém nunca conversamos muito sobre gestão financeira para planos a longo prazo, e nisso sou um desastre. Por isso tenho me preocupado muito desde já com a educação financeira dos pequenos.

Aqui em casa temos o “Verde” há mais ou menos 1 ano. É um porco cofre de borracha que o Fernando tem para guardar moedas. Por enquanto ele não faz idéia do que se faz com as moedas, mas já serve para explicarmos o por quê do papai ir trabalhar. Sempre que o maridão volta pra casa, traz moedas, e o Fernando guarda mais do que feliz no porco.  

Dicas de especialistas:

Fonte: Economia UOL

Até os 5 anos as crianças não tem noção real de quanto vale o dinheiro, e o que realmente representa, pois ainda vivem numa linha tênue entre fantasia e realidade, mas aos poucos já podem entendem o que é caro e barato, e que presentes grandes só em datas especiais. Historinhas infantis como a da formiga e da cigarra também ajudam nesse imaginário.

Entre 6 e 8 anos – Nessa faixa etária as crianças aprendem a fazer contas, somar, diminuir, dividir, e multiplicar. Então começam a entender sobre as interações comerciais e COMPRAR. Mas como não entendem muito sobre longo prazo, o ideal é uma SEMANADA, com dia fixo para recebimento, e o valor não deve ultrapassar R$1,00 por ano de idade. Ou seja: 6 anos = R$6,00 por semana.

A partir dos 9 anos – Tentar reduzir a periodicidade para quinzenal, e estabelecer em família o objetivo desse dinheiro: Cinema, guloseimas, lanches e etc.

A partir dos 12 anos – Seu filho já tem mais maturidade para receber mesada, e é uma boa idéia dar o dinheiro no mesmo dia que os pais recebem o salário. Ajude seu filho a fazer planos a longo prazo, imagine que estimulo seria abrirem uma poupança juntos, ou levá-lo à algum lugar para fazer alguma aplicação financeira, ou até idealizar juntos um projeto grande, como a realização de um intercâmbio, viagem, curso.

Nessa faixa etária o valor da mesada pode aumentar:

– dos 12 aos 13, multiplicar a idade por R$ 8,00;
– dos 15 aos 18, multiplica-se a idade por R$ 12,00.

Em todas as faixas etárias é bom introduzir o hábito de guardar parte do dinheiro,

algo com 20% do valor. 

Uma idéia é guardar o dinheiro em potes com finalidade para cada um. Na foto tem GIVE = Doar, SPEND = Gastar e SAVE = Guardar

save

Fonte Pinterest

Além disso a boa educação financeira é aquela que ensina que se pode comprar quando se tem dinheiro, e quando não tem, deve-se esperar e juntar o dinheiro suficiente para a compra.

A saúde financeira dos nossos filhos, vai muito além de dar o peixe, é preciso ensinar a pescar meninas.

Beijos,

Ale

 

Fontes de pesquisa:
http://www.ebc.com.br/infantil/para-pais/2015/08/educacao-financeira-deve-estar-presente-desde-cedo-nos-lares
http://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2013/10/11/14-dicas-de-como-dar-mesada-aos-filhos-e-educa-los-financeiramente.htm
http://www.resenhavirtual.com.br/blog/educacao-financeira-para-criancas/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s