Como é que ela consegue?

Depois que nos tornamos mães, começamos a nos perguntar como é que todas as outras mães conseguiram.
Como elas passaram por tantas noites em claro, por tantos choros de cólica, por tanta papinha feita e fralda suja.

Tenho uma amiga que teve dois filhos em menos de 3 anos, em outro país, sem a família por perto, e tendo varias complicações durante as gestações, como é que ela aguentou o tranco? Tenho uma amiga, que cuida dos dois filhos pela manhã, trabalha quando eles estão na escola, e dá conta de toda a rotina sem o marido que trabalha e mora em outra cidade durante a semana. Como é que ela não pira? Outra que tem uma escadinha de 3 filhos, e espera o quarto. Como é que não surta?

img_8005
Continuar lendo

Mãe e Filho

No final do ano passado fizemos o evento 1º Piquenique Mães e Filhos, e realizamos um concurso para um ensaio fotográfico com a Jennifer Inda.

A mamãe ganhadora foi a Mari Gertz, já conhecida aqui no blog, pois compartilhou sua linda história, de ser mãe, adolescente, de um prematuro. Leia aqui.

As fotos foram tiradas na Praça do DMAE em Porto Alegre e o resultado ficou belíssimo e apaixonante. Mari e Davi são uma dupla mega fotogênica.

O dia das fotos foi uma delicia, a Je tem uma paciência e simpatia de outro mundo. Mari Gertz

Continuar lendo

Lado A e Lado B da Maternidade

Ah, se você me visse agora, despenteada, atirada na cama, tomando um café e rezando para o bebê não acordar da soneca, você não iria querer ser mãe…

Se me visse de manhã, arrumando a casa, entre uma mamada e outra, entre um colo e outro, sem lembrar a ultima vez que fiz xixi, ou se escovei os dentes, você também não gostaria de ser mãe…

Se me visse, se estivesse comigo, durante aquelas horas da madrugada, em que meu filho não parou de chorar e tudo que eu queria era fechar os olhos, você não iria querer ser mãe mesmo…img_5739

Se você sentisse seus olhos ardendo do cansaço e exaustão de mais um dia, enquanto olha uma pilha de roupas para passar…ahh, vocês não iria nem pensar em ser mãe… Continuar lendo

Obrigada, De nada

Fato na maternidade: Nossos filhos são nosso reflexo – Seja a energia, a postura, as palavras.

Fernando começou a falar mesmo há mais ou menos 6 meses, e anda um papagaio. A gente fala, e ele repete…tudooo. Palavrões nunca mais nessa casa (jura).

Esses dias morri de orgulho, estava sentada no sofá, com a Olívia no colo para variar, e pedi para o Fernando me alcançar alguma coisa, que nem lembro mais. Ele me entregou, eu disse obrigada e ele disse de nada.

Ah meu coração se encheu de alegria, como comove saber que estamos indo pelo caminho certo, mesmo em pequenos detalhes. Comecei a notar que ele também pede “colicença” = com licença, diz muitos “obrigados”, e com alguns lembretes saem uns “por favores” também.Image result for children helping each other

Percebi que Continuar lendo

Projeto Bebê Arco-íris

Gurias, a Je Inda, fotógrafa aqui do blog, lançou um projeto lindo, daqueles que aquecem o coração.

Leia mais sobre o projeto e os bebês arco-íris, no texto da Jennifer

“Gerar uma vida é a coisa mais intensa que uma mulher pode viver. Sentir um filho no ventre, sonhar em ter um bebê nos braços, viver a maternidade de qualquer forma que ela venha. Mas e quando ela não vem?
Existem mães que no meio de uma esperada chegada, se deparam com uma inconsolável partida. Sorrisos largos dão lugar a um coração partido e o dia de sol se torna uma tempestade.
Em meio a dor, é difícil acreditar que tudo vai passar, que um arco-íris vai aparecer e que poderá trazer de volta a alegria.


A beleza do arco-íris não nega a tormenta, ela nos lembra que algo maravilhoso acontece depois de uma tempestade, por isso os bebês que nascem depois de suas mães passarem por uma grande tristeza são chamados de rainbow babies.
Continuar lendo

Organizando a vida e as emoções

Quando um bebê chega na nossa vida, bagunça totalmente a lista prioridades, o jeito de se organizar e viver.

Tudo fica diferente, e você já é outra. Muitas se desinteressam pela vida profissional, algumas se perdem emocionalmente, outras se perdem mesmo na bagunça da casa, que de uma hora pra outra virou uma brinquedoteca, com um toque decorativo de lavanderia industrial, com pilhas de roupa para lavar e passar.

A maternidade tem um ar de furacão, e quando passam os ventos mais fortes, você começa a entender que precisa botar tudo no lugar dentro e fora de você mesma. Na rotina agitada da vida como mães de crianças pequenas, usamos muitas vezes a desculpa da falta de tempo como escudo. Mas será que falta tempo? Ou falta uma chacoalhada na sua vida e na vontade de fazer, realizar, organizar?

Silhueta.:

Às vezes estamos cheias de limões, e com uma baita preguiça de fazer a limonada. Vai dar Continuar lendo

A geração das mães traídas

Tem uma amiga que sempre me dizia: “idéia de jirico daquelas que queimaram o sutiã”. Não me interpretem mal, tenho uma pitada moderada de feminismo no meu ser (digo moderada porque não sou extremista em nada). Eu ia ser bem infeliz se não tivesse a possibilidade e direito de igualdade de gêneros.

Mas vamos combinar que cansa, vamos combinar que quando podemos ser tudo, acabamos querendo ser e ter tudo. Queremos poder tentar uns 3 cursos diferentes na faculdade, queremos mostrar a que viemos ao mundo e mandar ver nesse reinado masculino corporativo. Queremos beber todas, sair por ai sem hora pra voltar, não queremos provedores, queremos sócios e parceiros. Queremos tudo, Continuar lendo